0%
Caution: JavaScript execution is disabled in your browser or for this website. You may not be able to answer all questions in this survey. Please, verify your browser parameters.

AUTO AVALIAÇÃO EM BANCOS DE TECIDOS

 

 

A Anvisa, em parceira com as Vigilâncias Sanitárias (Visas) dos estados e dos municípios, disponibiliza este instrumento de auto avaliação, a ser aplicado pelo próprio estabelecimento, sob supervisão dos seus responsáveis, para o alcance de um diagnóstico dos seus processos, da sua capacidade de controle e dos pontos que precisam ser melhorados. 

Este instrumento não substitui as ações de inspeção sanitária regulares executadas pela Vigilância Sanitária, mas pode ser utilizado para o monitoramento de risco sanitário e complementação das ações de fiscalização.

A adesão é VOLUNTÁRIA e a participação do estabelecimento não gerará qualquer sanção por parte da Vigilância Sanitária. Caso alguma não conformidade relatada enseje necessidade de intervenção, uma ação fiscal adequada será formalizada pela Visa local competente para verificação do atendimento aos requisitos regulatórios e para o gerenciamento de risco sanitário.

Aproveite a experiência para avaliar com muita auto responsabilidade os seus processos, identificando não somente suas fortalezas mas, principalmente, as não conformidades que são oportunidades de melhoria. 

Se precisar de algum esclarecimento ou ajuda, conte com o apoio dos serviços de referência da sua região e também com a Visa local competente pelo seu território. Além disso, está disponível o instrutivo de preenchimento deste formulário. Outros documentos publicados no site da Anvisa também podem ajudar. 

Ao final do preenchimento, compartilhe sua experiência. Deixe sua avaliação, comentários, críticas e sugestões de melhoria para o trabalho do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária! 

 

PERÍODO DE RESPOSTA É DE 04/10/2021 A 26/11/2021

PRAZO PRORROGADO ATÉ 10/12/2021

Existe(m) 55 questão(ões) neste questionário.

Os nomes dos responsáveis pelas contribuições (pessoas físicas e jurídicas), e-mail e CPF são considerados informações sigilosas e terão seu acesso restrito aos agentes públicos legalmente autorizados e às pessoas a que se referem tais informações, conforme preconiza a Lei Geral de Proteção dos Dados Pessoais (Lei nº 13.709, de 14/08/2018).